Marcelo Gomes Films - Filmes - Viajo porque preciso, volto porque te amo
Viajo porque preciso, volto porque te amo
2009, Diretor (c/ Karim Ainouz)
José Renato é um geólogo que atravessa todo o sertão nordestino para realizar uma pesquisa. Sua missão é avaliar o possível percurso de um canal que será feito, desviando as águas do único rio caudaloso da região. À medida que a viagem transcorre, ele percebe que possui muitas coisas em comum com os lugares por onde passa. Entre o vazio existencial, a sensação de abandono, o isolamento e a dor de uma separação recente, José Renato utiliza as paisagens e os objetos que encontra pela frente como forma de expressar seus sentimentos. Parceiros de longa data, os pernambucanos Karim Aïnouz (O Céu de Suely) e Marcelo Gomes (Cinema, Aspirinas e Urubus) fazem seu filme mais experimental, usando sobras de filmagens anteriores, num relato poético e envolvente no qual o protagonista nunca se faz presente na tela ? apenas narra os eventos em off.
Venecia
Prêmios e festivais
Venice Film Festival - Orizzonti - Official Selection
Detalhes
País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Data de lançamento:
September 2009 (Venice Film Festival)
Conhecido como:
I travel because I have to, I come back because I love you
Locais:
Bahia, Cerara, Pernambuco, Paraiba
Créditos
Produção:
Daniela Capelato, REC Produtores
Especificações técnicas
Duração:
76 min.
Som:
Dolby Digital
Cor:
Color
2017, Diretor
Brazil, 18th century. The colony of Portugal endures a decline in gold production. A Portuguese minority rules over a corrupt and autocratic society. Joaquim is an efficient soldier, famous for capturing gold smugglers. While waiting for his promotion to Lieutenant, he leaves for a risky mission in search of new gold mines - the only way to buy the freedom of Blackie, a slave he is in love with. Inspired by the true story of Tiradentes, the first leader of the Brazilian revolutionary movement.
Berlín
2013, Diretor (c/ Cao Guimaraes)
Juvenal é condutor de trem do metro de Belo Horizonte, Margô controladora de estação. Ambos vivem em um estado de isolamento social. Cada um ao seu modo: Juvenal vive a solidão de não conseguir estar só, e se alivia dessa sensação se refugiando na multidão presente nas ruas da urbe. Já Margô vive uma solidão virtual e está confinada no universo das redes socias, não estabelencendo relações com pessoas do mundo real.
Berlín
2012, Diretor
O filme é o retrato de Verônica, recém-formada em Medicina, nascida e criada no Recife. Verônica atravessa um momento crucial em sua vida, um momento pleno de incertezas: sobre sua escolha profissional, sobre seus laços afetivos, sobre sua capacidade de lidar com a vida nova que se aponta daqui pra frente. Era uma vez eu, Verônica é um conto de fadas ao contrário, sem fadas, sem casamentos, sem sonhos. Uma história que se revela através de aventuras, desventuras, desejos e canções.
2005, Diretor
1942. No meio do sertão nordestino, dois homens se encontram: Johann (Peter Ketnath), um alemão que fugiu da guerra, e Ranulpho (João Miguel), um brasileiro que quer escapar da seca que assola a região.
Cannes