Marcelo Gomes Films - Filmes - Estou me guardando para quando o Carnaval chegar
Estou me guardando para quando o Carnaval chegar
2019, Diretor
A cidade de Toritama é um microcosmo do capitalismo implacável: a cada ano, mais de 20 milhões de jeans são produzidos em fábricas de fundo de quintal. Os moradores trabalham sem parar, orgulhosos de serem os donos do seu próprio tempo. Durante o Carnaval ? o único momento de lazer do ano -, eles transgridem a lógica da acumulação de bens, vendem seus pertences sem arrependimentos e fogem para as praias em busca de uma felicidade efêmera. Quando chega a Quarta-feira de Cinzas, um novo ciclo de trabalho começa.
Berlín
Prêmios e festivais
Seleção Oficial Berlinale (Panorama Dokumenta)

Festival É Tudo Verdade - Prêmio da Crítica e Menção Honrosa do Júri Oficial. Menção Honrosa do Júri Oficial da ABD-SP.

Festivais:

É tudo verdade - São Paulo - Brazil
Festival Internacional de Uruguay
DocAviv - Tel Aviv
Olhar de Cinema - Curitiba
Sheffield Doc Fest
Bertha DocHouse - Londres
Curta Santos - Festival de Cinema de Santos
DocsMx - México
Festival Internacional de Valladolid - Espanha
IDFA - Amsterdam
Cork Film Festival - Irlanda
Detalhes
País:
Brazil
Idioma:
Portuguese
Data de lançamento:
11 de julho (Brasil)
Conhecido como:
Waiting for the Carnival
Locais:
Toritama
Créditos
Produção:
Carnaval Filmes, Misti Filmes, Rec Produtores
Especificações técnicas
Duração:
80 min.
Som:
Stereo
Cor:
Color
Aparência:
1:85
2017, Diretor
Brazil, 18th century. The colony of Portugal endures a decline in gold production. A Portuguese minority rules over a corrupt and autocratic society. Joaquim is an efficient soldier, famous for capturing gold smugglers. While waiting for his promotion to Lieutenant, he leaves for a risky mission in search of new gold mines - the only way to buy the freedom of Blackie, a slave he is in love with. Inspired by the true story of Tiradentes, the first leader of the Brazilian revolutionary movement.
Berlín
2013, Diretor (c/ Cao Guimaraes)
Juvenal é condutor de trem do metro de Belo Horizonte, Margô controladora de estação. Ambos vivem em um estado de isolamento social. Cada um ao seu modo: Juvenal vive a solidão de não conseguir estar só, e se alivia dessa sensação se refugiando na multidão presente nas ruas da urbe. Já Margô vive uma solidão virtual e está confinada no universo das redes socias, não estabelencendo relações com pessoas do mundo real.
Berlín
2012, Diretor
O filme é o retrato de Verônica, recém-formada em Medicina, nascida e criada no Recife. Verônica atravessa um momento crucial em sua vida, um momento pleno de incertezas: sobre sua escolha profissional, sobre seus laços afetivos, sobre sua capacidade de lidar com a vida nova que se aponta daqui pra frente. Era uma vez eu, Verônica é um conto de fadas ao contrário, sem fadas, sem casamentos, sem sonhos. Uma história que se revela através de aventuras, desventuras, desejos e canções.
2009, Diretor (c/ Karim Ainouz)
Recém-separado da mulher, o geólogo José Renato é enviado para realizar uma pesquisa de campo em que terá que atravessar todo o sertão nordestino. O objetivo é avaliar o possível percurso de um canal que será construído a partir do desvio das águas do único rio da região. Muitos lugares por onde José Renato passa serão submersos; muitas famílias que ele encontra serão removidas. O geólogo começa a se identificar com o vazio, o abandono e o isolamento dos locais por onde passa.
Venecia
2005, Diretor
1942. No meio do sertão nordestino, dois homens se encontram: Johann (Peter Ketnath), um alemão que fugiu da guerra, e Ranulpho (João Miguel), um brasileiro que quer escapar da seca que assola a região.
Cannes